Ténia – o parasita intestinal preferido de toda a gente

Na última semana participei nos Dias Abertos da FCUP, uma actividade que a faculdade dinamiza, e ainda bem, para simultaneamente mostrar o curso de Biologia e (na minha opinião mais importante ainda) divulgar a ciência da Biologia a estudantes do ensino secundário. Durante dois dias cansativos mas bastante divertidos tivemos um grupo a fazer visitas guiadas, mostrando espécimes, técnicas e material de laboratório, ao mesmo tempo que se ia falando de tudo um pouco: sistemática, biologia molecular, evolução, conservação, embriologia…

Cada pessoa podia desenvolver o discurso à medida dos seus interesses, por isso naturalmente puxei a brasa à minha sardinha misturando um pouco de evolução e ecologia, e por isso rodeei-me de representantes de alguns grupos maiores de animais (os ditos “Filos”, categoria que considero sem validade qualquer), para depois me debruçar sobre a diversidade dos artrópodes. À medida que o discurso era afinado, percebi que o suscitava mais interesse (e repulsa, infelizmente mas compreensivelmente) nos alunos era a explicação sobre o ciclo de vida da ténia (o espécime não estava identificado, mas deveria ser Taenia saginata ou Taenia solium), também conhecida como “bicha-solitária” (não confundir com as lombrigas, nemátodes do género Ascaris).

A simpática Taenia saginata - Fonte: Wikimedia

O nome ténia inclui um grupo de parasitas intestinais do género Taenia, pertencentes ao grupo dos Platyhelminthes, os vermes de corpo achatado. Três espécies são capazes de infectar humanos na sua forma adulta: T. saginata, T. solium e T. asiatica, todas com morfologia semelhante e por isso mais facilmente diferenciadas com recurso a técnicas moleculares ou pela análise microscópica de características anatómicas.

A vida de uma ténia começa num ovo. O ovo é constituído pelo embrião (a oncosfera) e por uma camada protectora (a embriosfera), que permite que o embrião permaneça vivo no meio ambiente durante dois a três meses, depositado em vegetação, solo ou água contaminada por fezes humanas. Quando é ingerida pelo hospedeiro intermédio (geralmente um animal herbívoro como um porco ou uma vaca) e chega ao seu intestinto, a oncosfera liberta-se da sua protecção e penetra na parede do intestino, viajando depois pela corrente sanguínea até aos tecidos do herbívoro, geralmente o tecido muscular. Aqui altera-se numa forma larvar designada cisticerco, que forma um cisto dentro do tecido conjuntivo do músculo. O cisticerco (constituído por um único escólex) tem um diâmetro máximo de geralmente 1 cm (mas conhecem-se caso em que chegam a ter 10-15 cm), e permite à ténia ficar imune às defesas do hospedeiro num estado dormente, que pode durar até alguns anos em T. solium, até que o cisticerco seja ingerido pelo hospedeiro definitivo. Os humanos gostam muito de carne de porco e de vaca, por isso o hospedeiro definitivo podemos bem ser nós!

Ciclo de vida de uma ténia - Fonte: CDC's Division of Parasitic Diseases

Os cisticercos morrem com temperaturas superiores a 56 ºC, e também por congelação, por isso uma pessoa que tenha cuidados com a carne não terá problemas, mesmo que ela esteja infectada (o que nos países ocidentais, com um grande controlo da alimentação dada ao gado, isso já é mais improvável). No entanto, se a carne for mal preparada, o cisticerco pode ser ingerido, e o escólex, nada mais que a cabeça da futura ténia adulta, agarra-se às paredes do intestino delgado, por via de ganchos e/ou ventosas, e começa a desenvolver a morfologia adulta. Com o novo hospedeiro reclamado, a ténia irá passar o resto da sua vida (que pode atingir até 25 anos) a alimentar-se da comida do hospedeiro, adquirindo-a já digerida através da parede do seu corpo (visto que não possui aparelho digestivo), e a criar descendência. O corpo da ténia adulta é, aliás, quase completamente constituído por pequenos segmentos designados proglótides. Em cada proglótide encontram-se órgãos reprodutores masculinos e femininos (é um animal hermafrodita, portanto), podendo a ténia autofertilizar-se ou trocar gâmetas com outro indivíduo com o qual partilhe o intestino (no caso de ser uma bicha não tão solitária quanto isso).

 

Escólex (esquerda) e proglótide de uma ténia adulta - Fonte: BIODIDAC

Uma ténia pode crescer até tamanhos incríveis dentro do intestino humano. O comprimento médio de uma ténia é de 5 metros, mas já se conhecem espécimes de T. saginata com 25 metros! É o comprimento de um dinossauro saurópode adulto como Apatosaurus (embora, convenhamos, com uma fracção ínfima da sua massa).

Após a reprodução, começam-se a desenvolver ovos no interior das proglótides, mais propriamente no útero. Com o desenvolvimento dos embriões concluído, as proglótides posteriores (que possuem alguma mobilidade) vão-se libertando das restantes, sendo expelidas do intestino com as fezes do hospedeiro. A falta de um sistema de saneamento adequado em muitos locais, sobretudo em países em desenvolvimento mas também em ambientes rurais, é uma porta para os ovos de ténia chegarem ao ambiente. E nos campos, nas ervas, na água ou no solo, a vaca e o porco ingerem os ovos da ténia, e o ciclo recomeça…

Uma pergunta que me fizeram várias vezes foi sobre sintomas e maneiras de se tratar dos problemas causados pela ténia. As infecções causadas por ténias são complexas, e podem ser de três tipos principais.

As teníases são infecções intestinais causadas pela ténia adulta, e são geralmente assimptomáticas com excepção de algumas complicações abdominais (dores, diarreia, prisão de ventre, náuseas, flutuações de apetite e perda de peso). Em alguns casos, o aberrante acontece: sobretudo em T. saginata, as proglótides móveis conseguem deslocar-se para órgãos como o apêndice, útero ou para as passagens respiratórias.

 

TAC mostrando uma cisticercose provocada por Taenia solium - Fonte: American Academy of Pediatrics

As cisticercoses são infecções causados pela forma larvar da ténia, o cisticerco. Como já referi acima, o cisticerco forma-se quando o ovo é ingerido pelo hospedeiro intermédio; mesmo que o ovo seja ingerido pelo suposto hospedeiro definitivo, como nós, a ténia vai reconhecê-lo como intermédio, e o cisticerco formará cistos nos tecidos do hospedeiro. Estes cistos são inofensivos até ao momento em que começam a degenerar e a causar infecções. Os problemas causados pelas cisticercoses são tão ou mais variados quanto os locais onde o cisticerco se encontre. Os principais problemas ocorrem quando estes se localizam no tecido nervoso (neurocisticercose) podem causar dores, convulsões, náuseas, confusão, alterações de comportamento, demência… Podem ocorrer noutros órgãos como pele, olhos, coração ou músculos. De referir que, para além da ingestão de ovos de ténia através de comida ou água contaminada, é possível ganhar uma cisticercose se já tivermos uma ténia adulta no intestino – se os ovos ou proglótides forem parar do intestino ao estômago, o ovo desenvolve-se como um cisticerco.

O outro modo de infecção causado pelas ténias é a cenurose, que é causada pela forma larvar de algumas outras espécies de ténias (cuja forma adulta não afecta os humanos). Esta larva, designada cenuro, causa sintomas semelhantes à cisticerco das outras ténias.

Para terminar, como nos livramos destes problemas? As teníases podem ser curadas com recurso a medicamentos anti-helmínticos, sendo necessária cirurgia apenas em casos em que há obstrução de canais. Para as cisticercoses e cenuroses, a utilização de medicamentos está dependente dos locais onde os cistos se localizam. Em locais mais sensíveis, como nos olhos ou tecidos nervosos, a melhor opção será a cirurgia.

 

Referências

- Bowman, N, Donroe, J. & Gilman R. (2006) Cestodes. in Ortega, Ynes R. Foodborne Parasites. New York, New York: Springer.

- Center for Food Security and Public Health (2005) – Taenia infections – http://www.cfsph.iastate.edu/Factsheets/pdfs/taenia.pdf

 

About these ads

18 Responses to Ténia – o parasita intestinal preferido de toda a gente

  1. Pingback: Origem e evolução dos animais – parte 4 « Histórias da Vida e da Terra

  2. bruna caroline diz:

    q massa

  3. Marta Ferreira diz:

    OLá Pedro,
    Deixo-te em primeiro lugar os Parabéns pela execução deste Blog.

    Tanto do ponto de vista ciêntífico, como do ponto de vista dos temas selecionados tens um excelente trabalho e espero que não desistas.

    Para uma pessoa como eu, que passo a vida embrulhada em micologia, conseguiste-me despertar o interesse mesmo noutros temas que já só estavam na penumbra do meu cardápio científico.

    Descobri-te numa busca que fiz de um tema que já não me lembrava bem e fiquei muito bem esclarecida.

    Bom trabalho e boa sorte!

    • vidaterra diz:

      Olá Marta!

      Obrigado pelo incentivo, e ainda mais contente fico por saber que consegui despertar interesses científicos que estavam escondidos no teu inconsciente. Talvez umas coisas mais que outras, mas acho que no geral todas as ciências têm algo de fascinante, algo que nos mostra a beleza do mundo em que habitamos, e por isso ganhamos todos em saber um pouco mais. Vou ver se no futuro começo a pegar também um pouco mais na micologia, quer sejam cogumelos ou coisas mais estranhas e pouco faladas, que eu também gosto de falar nos “underdogs”.

      Tenho andado com a vida um pouco trocada, por isso o blog não tem estado muito activo, mas quando me voltar a inspiração recomeço a escrever!

  4. Tenho convulsões e dor de barriga a mais de 20 anos. Fui a um posto e disseram que tenho ténia. Até agora na minha barriga faz muito barrulho. Como posso extrair essa ténia dos intestino?

  5. matheus diz:

    flw presisava muito dessa pesquiza prun trabalho vlw msm

  6. Emerson Rodrigues diz:

    Fico aterrorizado e ate com MEDO! de consumir qualquer carne.valew!!! Parabéns pela matéria sobre as espécies de tênias .

  7. roseli diz:

    eu acho que meu marido tinha esta bactéria eu quero saber se pode pegar por vaso sanitário quando uma pessoa tem e como podemos fazer um exame antes que seja tarde

  8. Isabel diz:

    Obrigado por este blog,e tratar este tema,que pouca gente que esta doente se imagina,que possa ser por estas coisas,eu estou a emagrecer,tenho muito cansaco,ja fui parar ao hospital com um problema na garganta que”Chamaram epiglotitis”,os medicos deram-me antibioticos,mas a partir desse dia ando doente a cair aos bocados,mas sei que se vou a um medico aqui onde vivo perguntar se posso ter tenia ou outros parasitos,dizem que estou maluca!Onde poderei ir ?Que me aconselham?

  9. Marcelo diz:

    ola! preciso de informações, estou suspeitando de que estou com esse parasita, pois estou tendo prisão de ventre, náuseas, flutuações de apetite e perda de peso, e além disso tomei sumo de semente de abobora e tive uma reação do tipo muito barulho no estomago e como se alguma coisa tivesse desmanchando na minha perna e um beliscão na minha costa, pequenos tremidos na parte da costa do lado do estomago e do lado do ficado tbm, uma sensação de melhora, como se algo estivesse me liberando, alem disso uma sensação de algo se movendo na minha cabeça, penso que pode ser algum proglote, mas que logo depois parou, e na minha perna o tremido acontece, ex: os cavalos tem tremidos musculares nas partes traseiras e dianteiras, não sei se vc já observou? mas é assim que acontece, e como se fosse alguma coisa grudada na minha perna esquerda próximo ao calcanhar, ouvi dizer que pode ser a canjiquinha, mas a minha preocupação é quanto as toxinas que o parasita solta depois de morto no nosso corpo, isso pode me trazer prejuízos de saúde, ou ser muito toxico ao ponto de matar? e como diagnosticar de verdade isso, já fiz exame de fezes mas não apareceu, tomografia computadorizada? exame de anti-corpos? qual o nome do exame? e além das sementes de aboboras o que posso usar para matar esse verme e em que dose, tenho 76 quilos hoje, perdi 10 quilos, além de ter sono mas não consigo dormir direito.
    preciso de respostas, marceloirineuster@gmail.com, fico no aguardo, obrigado.

    • marga. diz:

      Bom dia,
      Tomo uma salamargo a 3 anos uma vez por ano,receita de minha irmã, a 1º vez que tomei,saiu um tipo de sementes pretas em grande quantidade, não consegui identificar,tomei de novo agora, saiu muitas pedras da visicula que nem sabia que tinha,tomei 1 colher de vinagre de maçã com um copo de agua durante 1 semana, acho que foi isto que mobilizou as pedras, e ao tomar o salamargo elas sairam. Chá de camomila quebra as pedras da visicula e suco de maçã amolece elas. Estou tomando chá de camomila caso tenha ficado alguma pedra, A dose do salamargo para 60 kg pacote de 15 gr. Ficar sem comer das 2 hs em diante,
      18:00 hs 1 salamargo, bastante suco de maçã, 20:00 hs 1 salamargo, suco de maça, 22:00hs 100 ml de azeite de oliva, 8: 1 salamargo suco de maçã. Se sentir fome comer uma sopa leve sem gordura e sem tempero, suco de maçã pode descascar a maçã bater no lidificador fica mais natural, não se preocupe esta receita não faz mal é natural e funciona mata qualquer tipo de verme, se tiver vermes eles descem mortos e desmanchados, é ruim de tomar mas vale a pena.Tomar chá verde apos o procedimento para limpar bem. Após 10 dias eu tomo em jejum 150 ml de azeite de oliva descanso duas hs e tomo um salamargo e bastante suco de maçã, para garantir que não fique nenhum ovo de verme , mas também pode tomar 1 comp. de Aalbendazol que mata qualquer tipo de verme. Espero ter ajudado

  10. Framca souza diz:

    se é funcional vou tomar e aconselhar os meus amigos

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

%d bloggers like this: